segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Só falta o quase ....

Este foi um ano de altos e baixo onde a mudança foi senhora e rainha em todo seu esplendor ... tudo mudou de um dia para o outro, o meu mundo tremeu e vi cair por terra aquilo que me levou anos a construir, foi o arregaçar das mangas e voltar a erguer alicerces que sustentam este meu mundo, foi o mudar tudo doe lugar, desfazer-me daquilo que atrapalhava, arrumar toda aquela "tralha" e continuar em frente sem medo ... este foi um ano de viragem ... de um novo começo ... foi um ano de aprendizagem e crescimento pessoal. Mas também foi um ano de aproximação, foi o ano em que estive mais próxima daquelas pessoas que me aceitam tal como sou, com toda esta minha loucura (saudável), com este meu mau feitio, com todos os meu defeitos, pessoas que não me tentam mudar, pessoas que aceitam esta minha individualidade e a respeitam ... AMIGOS DE VERDADE ... 
Este foi um ano complicado, estranho, cheio de mudanças, de altos e baixos mas foi um ano FANTÁSTICO, do qual guardo bons momentos, conversas sem fim, risos, gargalhadas sonoras, afinal de contas não foi assim tão mau ... 


HAPPY NEW YEAR 
2015


segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

UM BRINDE ÀS MULHERES COM CLASSE

"A classe de uma mulher mede-se pela forma como pratica sexo oral. Isso mesmo: a classe de uma mulher mede-se pela forma como pratica sexo oral. E sim: a mulher com classe pratica sexo oral. Pratica com prazer, com loucura, com dedicação até. Mas a mulher com classe consegue fazer um fellatio como se estivesse a caminhar sobre a mais vermelha e glamorosa das passadeiras. A mulher com classe faz do fellatio uma festa de sentidos, sim. Mas uma festa de sentidos que poderia aparecer na capa da Lux ou da Caras. A mulher com classe vê no fellatio aquilo que ele é: um acto de amor. E ter o sexo ou os lábios de quem ama na boca é exactamente o mesmo: um acto de amor. E é isso - essa capacidade de amar para além dos gestos, dos sentidos, dos preconceitos, das peles - que é amoroso.

Não há como o esconder – nem sequer entendo porque raios haveria de o esconder: já tive muitas mulheres. Como tão bem canta Martinho da Vila: “Já tive mulheres de todas as cores/De várias idades, de muitos amores/Com umas até certo tempo fiquei/Prá outras apenas um pouco me dei.” Mulheres. Mulheres. Todas diferentes. Todas deliciosamente diferentes. Todas absolutamente mulheres. E aquelas que absolutamente mais classe tinham foram aquelas que, sem hesitar, sem pensar um momento que fosse, me amaram de sexo. Sem fronteiras. Aquelas que sem perder um segundo que fosse a reflectir se deviam ou não fazê-lo, se era precipitado ou não fazê-lo, mergulharam no sexo oral como se o sexo oral mais não fosse do que uma extensão do prazer – como um beijo ou um abraço. E é. Para uma mulher com classe o sexo oral é como o sexo normal ou brutal ou outras coisas que tal: amor. E é isso, fazer amor e não encontrar em peles que se suam e se agarram e se tocam e se lambem nada mais do que amor a fazer-se, aquilo que faz de uma mulher com classe uma mulher com classe. Eu tive algumas. E foi um prazer, com elas, perceber que um fellatio é amor. E amar aquele amor e o amor que cada uma delas, das mulheres com classe, colocou no amor que me dava. Porque o amor verdadeiro tem de ser um amor com classe. Um amor de todas as classes. 
Há mulheres que acreditam que não devem fazer sexo oral. Porque fica mal, porque é a prova de que são meretrizes sem ponta de dignidade, porque o homem pode pensar coisas terríveis delas. Porque. Há mulheres que se incutem, até, nojo de o fazer. Iarrrrrc! Essas são as mulheres que acreditam que a classe se compra, que a dignidade se mascara, que a pureza se suja. Mas não. A classe não se compra, a dignidade não se mascara. Muito menos a pureza se suja. A pureza de alguém não é aquilo que faz – mas sim aquilo que sente quando faz o que faz. E uma mulher que pratica um fellatio com o mesmo carinho com que acarinha uma pele, com a mesma ternura com que embala um berço, é a mulher mais pura do mundo, a mulher que vai à procura do que a faz feliz e do que faz feliz quem ama (e a ama). E encontra. A mulher com classe – mais do que uma mulher com classe – é uma mulher feliz. Uma mulher que se esquece do que não pode ser, do que não deve ser. E que faz aquilo que tem de ser. Aquilo que só pode ser. Aquilo que amar só pode ser. É isso que és?

in "Eu Sou Deus", de Pedro Chagas Freitas

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

SEX(ta)

Era mais um dia de trabalho como tantos outros, um amontoar de chamadas, clientes, reuniões e papeis ... quase sem tempo para respirar, a manhã passou lentamente como se o relógio teimasse em prolongar o tempo e quando se preparava para sair para almoçar a sua secretaria entrou para a avisar que ainda tinha uma reunião com um tal Dr.º do qual nunca tinha ouvido falar, o que a deixou irritada pois precisava de sair dali ... esquecer por uns momentos aquele frenesim ...

“Mas não tenho nada marcado para esta hora”
“o Dr.º marcou hoje de manhã com urgência”
“ Mas tinha de ser a esta hora”                               
“O Dr.º marcou directamente com a administração, a ordem veio de cima não pude fazer nada Dr.ª”
“… raios esse tipo deve ser importante (pensou ela) … Mande entrar o tal DR.º “
“Sim Dr.ª, se não precisar de mais nada vou almoçar”
“Sim, sim vá" … raios até a secretaria almoça primeiro que eu (pensou) ”

… alguns minutos depois o tal Dr.º entrou na sala …
Qual não foi o seu espanto era o seu amigo o que a deixou ainda mais irritada

“Tu … cabrão ... o que fazes aqui?”
“Pensei em vir-te devolver as tuas cuecas”
“És um cabrão”
“Mas tu gostas”
“Vais-me devolver as cuecas ou não? Quero ir comer”
“Por falar em comer estava a pensar em comer-te” 



... e avançou para ela, pegou nas mãos dela e encaminho-a até ao meio da sala começou a beija-la e puxou a sua saia para cima, colocando o seu corpo debruçado sobre a pequena mesa de reuniões, afastou as suas cuecas e penetrou por trás preenchendo toda a sua intimidade, enquanto lhe sussurrava palavras doce e obscenas, possuindo o seu corpo com mestria ... deitando por terra todas as suas defesas ... deixando-a louca de prazer ... fazendo-a suplicar por mais ... mais fundo ... com força ... 


"fode-me ... fode-me" 

... ele não se fez rogado e penetrou-a com toda a sua força até se vir ... até ela se vir ... abafando todos os seus gemidos ... controlando o seu corpo ... tomando posse do seu desejo ... 

Saiu de dentro dela, beijou-lhe os lábios e sussurrou-lhe ao ouvido 
“Espero-te no hotel, hoje passa a noite comigo … e não te preocupes. Hoje és minha”

(continua ou talvez não)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Virtualmente (TUA)

Estas noites de chuva, são incrivelmente solitárias perco-me nos meus pensamentos enquanto o sono não chega e hoje parece que vai tardar a chegar … acendo a lareira e fico a contemplar o crepitar do fogo enquanto saboreio um vinho … (deixou-me levar pelos pensamentos até TI) … é então que o silencio é interrompido por bip que anuncia a chegada de uma mensagem … aproximo-me do PC … e

Começamos a falar sobre estas noites de chuvas, qual o melhor remédio para combater a melancolia que se instala … foi então que comecei a picar-te, a provocar-te. Descrevi como estava vestida ... pediste-me para ligar a web ... ao inicio hesitei um pouco mas lá acedi ao teu pedido ...
Liguei a web, por uns breves instantes ficamos em silêncio a contemplar-nos, depois de tantos meses, lá estávamos frente a frente ...
É verdade que o nosso reencontro não foi como imaginei, mas foi igualmente intenso como se estivéssemos juntos, deu para acalmar um pouco a saudade que tinha dentro de mim.

Continuamos com a provocação foi então que me propuseste um jogo, alinhei.

Disseste:
"Venda os olhos. Bebe um pouco de vinho, deixa-o derramar pela boca e escorrer pelo pescoço até aos peitos, deixa descair uma alça, mostra-me o peito. Passa o dedo humedecido no vinho no bico do teu peito em movimentos circulares e tenta chegar-lhe com a língua, lambe. Imagina a minha boca a lamber-te, a chupar-te.
Despe-te lentamente, entorna o vinho por ti deixa espalhar-se, quero vê-lo a escorrer ... dá-me prazer!!!!"

Ia fazendo tudo o que dizias e excitando-me. Sentia-me húmida, sedenta, pedi para continuares.

"Abre as pernas, baixa a câmara, mostra-me a tua gruta húmida, sedenta. Verte mais um pouco de vinho e espalha com o dedo. Acaricia-te, penetra com o dedo, bem fundo. Imagina que sou eu que te toco, que te penetro ... dá-te prazer, quero ouvir-te a gemer."



O meu corpo movia-se ao som da tua voz e cumpria todas as tuas ordens ... prazer!!! Ao mesmo tempo sentia, que te estava a dar muito prazer. Os teus olhos brilhavam, trincavas os lábios, podia sentir o teu desejo por mim ... estava completamente excitada, que mandei a ligação abaixo ... quando voltei já não estavas ... enviei-te uma foto ... e um pequeno smile ... fui.me deitar ...

Passado alguns minutos recebo uma SMS tua ...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Bom dia MUNDO

Porque nem todos os dias são ardentes e descontrolados
Porque existem dias em que um abraço, um aconchego, são suficientes para “segurar” a alma; para se dizer o quanto se quer ... 


Hoje queria estar assim nos teus braços ... num abraço apertado ... seguro ...

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Pensamentos Nocturnos #9


... deixo a porta entreaberta para que nos meus sonhos possas entrar ...
Invade a minha mente
Invade a minha alma 
Invade o meu corpo
Invade o meu desejo 
Invade o meu mundo 
... descontrola o meu ser ... 
... descobre os meus segredos ...
... aflora os meus desejos ...
... apodera-te do meu corpo ...

Bom dia MUNDO

Bom dia meus amores 
Agradeço os mails enviados, mas esta tudo bem aqui com a menina, esta minha ausência é mesmo por falta de tempo para este meus devaneios  ... em relação ao que se passou com o "meu" Facebook mais tarde explico ... agora tenho de sair a correr ... volto assim que me seja possível
Bacio 
Peccato 

terça-feira, 18 de novembro de 2014

...


Meus amores sem tempo para os meus devaneios e por isso peço perdão volto a devanear logo assim que possa.
Bacio
Peccato

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Apetece-me #40


Apetece-me 
Uma noite de sexo 
Louco
Selvagem
Sem tabus
Sem pudor 
Apetece-me
Saborear-te
Sentir-te 
Apetece-me
Gritar
Gemer
Suplicar por mais 
Apetece-me 
Uma noite de sexo
ANIMAL 
Apetece-me 
Apetece-te??? 

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

So WET



Molhada ...
Sinto-me molhada …
Existem dias assim em que andamos com as hormonas aos saltos … completamente descontroladas … estes dias são terríveis …
Tudo o que mexe nos faz lembrar … sexo … sexo .... sexo .... e mais sexo ...
Dias em que um simples cruzar de pernas …. excita … incomoda … desconcentra ... sim hoje foi um desses dias em que tudo o que me vinha à mente era sexo … Oh My God … ainda por cima passar o dia em reunião é de facto incomodativo … dei por mim a cruzar a perna e apertar-me para me acalmar … discretamente para que ninguém percebesse ... e os pensamentos assaltam-me e começo a imaginar o que me apetecia fazer  ... e lá se vai o raciocínio, confesso que me perdi completamente … upss … salva pela pausa para o café … e depois de uma passagem rápida no WC para refrescar a cara com agua fria … lá voltamos para a tortura … e o tempo que teima em não passar …  
E finalmente chegou o final do dia … ai … até o simples caminhar … o roçar de perna uma na outra … aiii apetece por a mão .. apertar …
Entro no carro e aí já posso sentir a minha mão por dentro do vestido e sentir me ... estou quente ... muito quente ... molhada ...  pronta ... Oh My God … que vontade … que me agarres e sentir-te sem perguntas só  sentir-te entrar dentro de mim … penetrares me com força, por trás puxares me o cabelo ... sentir te todo, enterrado em mim ... como estou tão molhada é só deixar deslizar e engolir te  … sentir ...  aiiii que dor …
Depois hora do ginásio podia ser que me acalmasse mas não … novo tormento … homens muitos homens a fazer força e enquanto agarram nas barras e suspiram … “hummmmaaaaa”” my god!! e uma gaja com uma vontade danada a ouvir aquilo … que sofrimento …
Mulher sofre … apetece me que me agarres e que me comas ... sabes!?? assim mesmo toda...  todinha, ficar saciada desta vontade que te tenho …
Mas não !! … se fui para o ginásio molhada vim de lá encharcada a verdade é essa …

... aiii se tu me apanhas ... ou melhor ... aiii se eu te apanho ...

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Olhas-me

Com olhos de fome quente
Com a mesma força de sempre
Penetrante e íntima
Insaciável
Vê como me toco
Vê como se faz
Vê como gosto que faças
Delicia te,
Este presente é para ti ...
Deitada na cama
Enquanto me toco ...
Gosto de sentir os mamilos excitados na ponta dos meus dedos
De sentir a minha mão que agarra o meu peito
Sinto os meus dedos na minha boca
Sinto o meu pescoço esguio e arrepiado
Torço o meu corpo na cama, manifesto a vontade que sinto
Sinto o calor da minha mão
Que me aperta
Excito me com os meus dedos
Sinto o calor 
O calor que sinto, depressa é humidade que aparece sem querer …
Toco-me para que vejas o que quero que faças
Toco-me bem fundo
Alivio um suspiro de prazer


Desejo te... olho te nos olhos em sinal de consentimento
Levo a tua mão a mim
Vem... vem fazer igual,
Prova me assim como estou salgada de desejo
Substitui a minhas mãos pelas tuas
Sente-me,
desafoga a tua vontade nas minhas fantasias
Faz de mim tua loucura,
Transforma as tuas vontades em minhas
Desejo o teu toque


Mergulhar na tua boca
Sentir o teu beijo
Esta evasão incontrolável  que se apodera do meu corpo de tesão por ti
Dizer te ao ouvido que te desejo
Mordisco os teus lábios
Excito te de uma forma gostosa
De mansinho vou me chegando a ti
Sentes me, com a vontade que tenho, quente e pronta
E pela cintura chegas me a ti
De costas para o teu corpo sinto te
Beijas me a nuca
Sentes o meu cheiro
Ouço o teu respirar
Enches me a boca de beijos
Sinto a tua língua na minha
Dançam as duas
Excitas me a cada passo que dão
Sinto a crescer em ti a vontade de me sentir
Gosto das tuas mãos compridas e macias em mim
Que me humedece
Bebe-me com a tua língua que me leva à loucura
Prova-me


Desejo sentir te até me rasgares a carne e me penetrares
Que mergulhes o teu corpo no meu
Que sejamos um só unidos pela vontade do prazer ...
Acordarmos, dois corpos enrolados e cansados
No vidro da janela os nossos suspiros marcados
Na rua o cheiro do orvalho fresco da terra …


quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Apaga este FOGO

Desce pelas curvas do meu corpo
Explora o meu corpo descobre novos caminhos
Segue até ao cume do prazer
… Não há qualquer perigo …
… Tem coragem e vem ...
Rebola comigo na cama, incendeia-me
… Mostra-me o teu lado animal …
Deixa me agarrar o teu corpo, arranhar te, cravar meus dentes na tua carne … saborear-te por inteiro
Quero amar, beijar, sentir, delirar, gritar!
Sente o fluido do meu corpo
És tu que me pões assim
Quente, humedecida por ti
… Abraça-me …
… Delira comigo …
… Esquece o mundo e entra no nosso …
No teu corpo sou sedutora, louca, provocadora…
… Vem …
… Provoca-me …


[Quero-te deixar louco, a vibrar de desejo!]
A minha boca procura-te e quer sentir
Quero um amor molhado
Um encaixe quase indecente, louco, perfeito
De desejo e tesão escaldante
… Sinto-me a queimar …
Quero-te!
… estou a delirar …
Deixa-me insana
Vira me do avesso,
Faz me escrava da tua vontade
Tira me da razão, que tanto me cansa e satura!
Desabafa sobre o meu corpo o teu desejo a tua paixão a tua vontade
Marca-me o corpo
Lambe-me, sente-me
De todas as maneiras
Abro-me para ti …
Bebe o néctar de escorre de mim
Deixa-me gritar de prazer e de dor!
Penetra me devagarinho, com força!
Explode dentro de mim!

Apaga este desejo que me desconcentra 
Apaga este fogo ..............................

sábado, 4 de outubro de 2014

Desejo


O teu cheiro que me aquece a pele
Tua boca que me provoca
Teus olhos, que me convidam
As tuas mãos, que me percorrem  
O teu corpo, que me sacia
Fico assim, com vontade de ti
Com vontade de te ter aqui perto de mim
Um desejo incontrolável de saciar a minha sede
Deixar o meu corpo entregue ao teu
O teu olhar que me despe
A tua respiração ofegante que me excita
Tocas me, arrepias me, sentes-me
Minha boca que pede desejo,
O desejo de percorrer o teu corpo quente
Deixa me atrevida
Mordiscar teus lábios, percorrer os teus lábios com minha língua
Perco-me na loucura que é devorar-te
Sentir o teu gosto que me sabe sempre a pouco, que me alimenta
Sugar o teu sabor,
Quero ter-te, sentir -te em mim
Deixa-me louca, sentir-te em êxtase
Fico encharcada de desejo, sente-me
Pedes-me,
Quero-te,
A sensualidade com que eu te sinto desaparecer em mim
Acaricio-te
Um abraço, que junta o corpo, ajuda ao encaixe do meu corpo no teu
Quero ter aquele prazer suado, que me deixa insaciável por ti, por nós
Hoje estou assim, com vontade de te ter por algumas horas
Ficar com o cheiro do teu corpo no meu

Desejo …

domingo, 21 de setembro de 2014

Pensamentos Nocturnos #8

Hoje apetecia-me
Que entrasses aqui de rompante
E fizesses me tua num instante
Que me aquecesses
Que me possuísses
E me sentisses
Me roubasses
Que me amasses
E me calasses
Com beijos
... é este o meu desejo ...


Agarra-me
Arranca-me o vestido 
e
Toca-me
Sente-me
Faz de mim o que quiseres …
Rendo-me …
Excita-me este desejo que me adoece
Que me aumenta a temperatura
Vem ...
Arrefece-me …
Acalma esta vontade de ti ! 

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Apetece-me #39

Apetece-me
Um jogo diferente
Apetece-me
Privar-te de alguns sentidos
Amarrar-te
Vendar-te
Apetece-me
Sussurrar-te palavras doces e obscenas
Despertar o desejo
Apetece-me
Percorrer o teu corpo
Saborear o sal da tua pele
Apetece-me
Deixar-te louco
Atear esse fogo


Apetece-me
Um jogo diferente
Apetece-te???
Jogar 

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

"Distância"

Eram 1682 os km que os separavam, durante dias ela tentou conter o desejo que a consumia, tentou esquecer aquele corpo, aquele beijo, aquele toque mas o seu pensamento teimava em trair-la e quanto mais tentava ... mais insuportável se tornava aquela ausência, mais a sua vontade aumentava, mais o desejo queimava e ela enlouquecia, o seu corpo reclama, suplicava pelo corpo dele ... e num momento de loucura transpôs a barreira da distancia e ... regressou somente para nos seus braços se perder, para ao desejo se entregar ... 


Quando os seus lábios se tocaram os seus corpos estremeceram de desejo, libertando aquela chama ardente que lhes consumia a alma e rapidamente os seus corpos nus se envolveram numa redescoberta de prazer, entre as caricias, toques e os beijos.
Ele percorreu o corpo dela, sentido na ponta dos seus dedos o calor da pele que se arrepiava, o corpo que estremecia e o olhar denunciava o seu desejo de ser amada, enquanto dos seus lábios brotavam pequenos mas intensos gemidos ...

Delicadamente ... demoradamente ... percorreu o corpo dela atiçando ainda mais o seu fogo, despertando toda a sua luxuria, humedecendo todo seu ser ... prolongando aquele momento em que ela se entregava ... em que a sua rigidez a penetrava, lentamente fazendo com que o seu corpo se arqueasse ... para o receber ... e num ritmos lento mas vigoroso manobrou o corpo dela com mestria, preenchendo toda a sua intimidade ... em estucadas lentas mas fortes apoderou-se do seu corpo, da sua alma e entregou-se ao prazer que ambos sentiam ... e os gemidos transformaram-se gritos, as palavras sussurradas saiam abafadas e sem sentido, as bocas que se comiam, os olhares que se denunciavam, os orgasmos que se intensificavam e os seus corpos que se encaixavam cada vez mais como se um só se tratasse, balançando ao som do prazer ... de um prazer tão puro ... tão louco ... tão intenso ... tão feroz. 


"A distância é como os ventos: apaga as velas e acende as grandes fogueiras."
François La Rochefoucauld

sábado, 30 de agosto de 2014

Apetece-me #38

Apetece-me sentir os teus beijos, os teus lábios a saborear os meus.
Apetece-me sentir o teu corpo, o calor da tua pele, fogo que atiça o desejo, a maciez do teu toque, envolver o meu espírito, fazendo-me perder a noção e a razão.
Apetece-me sentir os teus movimentos carinhosos e ligeiros, enlouquecendo a minha mente, saboreando os delírios dos meus pensamentos.


…quero estar contigo, sentir a tua alma, o teu corpo, a tua boca. Quero ouvir as tuas fantasias sussurradas na noite, acordando os meus sentidos, arrancando da minha mente todos os desejos escondidos, quero o teu corpo colado ao meu, fundindo-se, amando, quero tocar o teu corpo por inteiro, quero sugar todas as tuas gotas de suor com a ponta da minha língua, quero saborear todos os teus desejos, quero sentir-te, quero amar-te… APETECES-ME 

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Dois anos de Blog



Dois anos de letras, frases e pensamentos emaranhadas em mim.
Dois anos de risos e choro, de abraços e de mãos dadas, de tolices e delírios, de desejo e prazeres, de vontades e fantasias, de momentos e pensamentos (parvos e banais).
Dois anos de partilhas, de Olás e Adeus, de viagens que ainda duram e de outras tantas que já terminaram.
Dois anos de vocês, de nomes que vão chegando e de outros que vão saindo.
De caras que imagino, outras que sei, outras que nem sonho mas que não importa.
Dois anos de pessoas que entraram na minha vida, há meses, há semanas ou há dias.
Dois anos de blog (*.*)


Obrigada, infinitamente obrigada