quarta-feira, 30 de julho de 2014

Reencontro - II

Ainda com os corpos encaixados de uma forma tão perfeita que bastou um movimento para que o corpo dela fica-se em cima dele e completamente encaixados um no outro.


Ele agarrou a sua anca com força, forcando toda a sua intimidade a senti-lo, preenchendo-a de uma forma invulgar, forçando o corpo dela a movimentar-se lentamente … ela sentia-o em toda a sua plenitude e o seu corpo estremecia em espasmo de prazer, os seus músculos contraiam-se a cada movimento sentido.
Num compasso alucinante, lento, suave, meigo … repleto de desejo, tesão, ganas e prazer constante que os consumia … as palavras saiam meio abafadas pela respiração ofegante, pelos gemidos que se soltavam ininterruptamente, dos seus corpos exalava o doce aroma do desejo … e os olhares reflectiam a intensidade do seu prazer. 
E bastou um olhar intenso para ela saber o que se seguiria, começou a beijar-lhe o corpo lentamente, sentido o sabor do seu suor, sentindo o cheiro dela misturado com o dele … foi beijando até alcançar o sexo dele … e lentamente colocou-o na boca, sentiu o sabor do seu doce mel … e foi lambendo, chupando, sugando aquele sexo em estado puro … lentamente, muito lentamente tal como ele gosta … em suaves e meigos movimentos fui engolindo, preenchendo a sua boca … sentindo como ele se contorcia em espasmos de prazer, sentindo toda a sua tesão, deixando-o cada vez mais louco … sentia-o a entrar e a sair da sua boca, a roçar a sua língua … chupou-o com agilidade, lambeu cada recanto, sugou-o com desejo … quase sem aviso ele explodiu num orgasmo intenso e o seu néctar quente, espesso e doce invadiu a sua boca … saboreou lentamente enquanto ele se contorcia sobre a cama …  


[e será que termina aqui??]

Adormeci com um sorriso...

... a pensar em ti, a visualizar as tuas expressões faciais, os gestos fabulosos das tuas mãos, o teu corpo, a ouvir a tua voz, as tuas gargalhadas, os teus sorrisos espontâneos ...


Adormeci e acordei com o teu cheiro...melhor mesmo só a tua presença! 

terça-feira, 29 de julho de 2014

Reencontro - I

O dia amanheceu limpo e quente … talvez demasiado quente … início da manhã, daquelas manhãs moles, que vão sem pressas!...


Já não estavam juntos há alguns dias e o “desejo” consumia lhe alma e o corpo!
Ele chegou, abraçou-a e beijou-a com sofreguidão! Sem descolar as bocas as roupas foram caindo pelo chão enquanto se encaminhavam para o quarto!
Ele deitou-a sobre a cama e as suas mãos percorrem o corpo dela com caricias e toque lentos e quentes, afastou-lhe as pernas e mergulho na sua intimidade sentido toda a sua humidade … e aquela língua quente viperina quente a saboreava em movimentos suaves … mas loucos … que a deixavam cada vez mais excitada, ele explorou todo o seu prazer degustando lentamente o seu doce sabor, saboreando todo o seu desejo.

Lambeu … chupou … mordiscou … lentamente cada recanto do seu ser … e o orgasmo não tardou … ela explodido de prazer para ele … deu-lhe o meu néctar … ainda não tinha recuperado e já podia sentir o corpo dele colado ao seu, o seu sabor na boca dele … e entre os beijos e as caricias que partilhavam … ele penetrou-a, lentamente, sem pressas preenchendo todo o seu ser, fazendo-a sua presa … manobrou o seu corpo com destreza colocou-a na posição desejada e em suaves e lentas estucadas apoderou-se do seu prazer, fazendo-a gemer, suplicar por mais, sussurrando palavras de desejo, o corpo dela cedeu ao prazer … fechou os olhos e concentrou-se nos movimentos dele, acompanhado cada estocada, cada toque, cada caricia, cada palavra sussurrada e os seus gemidos era cada vez mais fortes, mais intensos denunciando o orgasmos que se aproximava e ela explodiu de prazer, do seu corpo escorria doce mel do prazer. 


[continua]

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Apetece-me #37

Apetece-me
Sentir a tua rigidez
Apetece-me
Sentir-te lentamente
Apetece-me
Sentir a tua tesão
Apetece-me
Escorrer em TI
Apetece-me
Gemer o teu nome até ficar exausta de prazer
Apetece(s)-me 


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Existem ...

... dias em que o corpo arde, ARDE de DESEJO 
... dias em que o corpo implora por um corpo alheio, outras mãos, outro sexo, outra boca. 
... dias em que se torna impossível conter o desejo, a vontade.
... dias em que assim, dias de puro desejo, dias em que nada consegue apagar esta vontade constante que nos consome lentamente. 
... dias EM QUE NOS TRANSFORMAMOS EM SERES VORAZES, OUSADOS E SEDENTOS DE PRAZER 



P.S: Voltei ....

sexta-feira, 18 de julho de 2014


Malas feitas chegou a hora de trocar esta confusão metropolitana pela clama e o sossego ... chegou a hora de regressar às origens ... mas só por uns dias, estavam a pensar que se livravam de mim ... vou mas volto ... até lá fiquem bem e aproveitem a vida
Bacio
 Peccato

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Encontro (in)Esperado

O dia correu com a normalidade habitual até ao momento em que recebi a tua mensagem, uma simples SMS, uma simples morada, uma hora marcada e um simples “confia em mim”, nesse instante tudo mudou ... o coração disparou ... segui todas as tuas indicações e à hora marcada estava à porta daquele prédio, ainda com as pernas a tremer e aquele nervoso que se apoderava de mim, entrei no elevador ... sai no andar indicado a porta estava entreaberta, entrei ...
Segui pelo corredor até à sala, iluminada apenas por velas que exalavam um aroma suave, aquele quadro de luzes suaves era acompanhado por uma música calma, evolvente ... fiquei ali a contemplar aquele ambiente perdida nos meus pensamentos, quando te senti aproximar, envolveste-me nos teus braços, num abraço forte, meigo, seguro ... ficamos ali abraçados em silencio trocando apenas caricias, olhares tímidos e disfarçados, beijos doces e suaves meio envergonhados, apaixonados ... beijos que depressa se transformaram em beijos ardentes de desejo ... um desejo que tomava conta de nós, ao qual nos entregávamos.


As nossas roupas foram caindo pelo chão sem temores ... sem receios, sem medos ... enquanto nos encaminhávamos para o quarto ... também este iluminado por velas ... caímos sobre a cama, os nossos corpos estremeciam de desejo a cada toque  ... a cada beijo ... quase de imediato te apoderar-te do meu corpo e na minha intimidade penetras-te ... o meu corpo respondia com mestria e todo ele estremecia a cada movimento teu, num compasso meigo, acelerado ... soltavam-se os gemidos entre beijos e caricias palavras sussurradas meio abafadas e naquele instante de entrega total numa onda de desejo que nos tomava por inteiro até ao êxtase de um orgasmo partilhado ... sentido ... num momento em os corpos suados se encaixavam numa perfeita sintonia ... e assim ficamos  encaixados num abraço forte, meigo, tão desejado, adormecemos assim ... abraçados ...


Lentamente ...

… sinto como a tua rigidez se apodera de mim, com movimentos suaves num compasso lento … despertas em mim o desejo a cada movimento teu
… o corpo reage, estremece, arrepia-se, a respiração torna-se cada vez mais ofegante, soltam-se os gemidos de um prazer constante que se apodera de mim
… sinto o teu sexo, a tua tesão que a cada movimento se apodera de toda a minha intimidade preenchendo cada recanto do meu ser
… sinto o prazer que cresce, o desejo que aflora, o momento que não tarda, a entrega que escorre de mim 


… em êxtase entrego-me a ti ...

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Apetece-me #36


Apetece-me 
O teu corpo colado ao meu, 
sentir a tua rigidez que aflora, 
a tua mão que acaricia a minha pela 
delineando caminhos de prazer, 
a pele que se arrepia, 
o corpo que responde e se arqueia, 
a respiração que acelera, 
os suspiros que transformas em gemidos.
Apetece-me
Ficar assim nesta troca de caricias e mimos, 
de desejos e prazeres escondidos
Apetece-me
Este momento de partilha 
… será pura utopia minha …
Apetece-me
... toques e caricia lentas, suaves, prolongadas ...
... neste meu momento de utopia ...
Apeteces-me

segunda-feira, 14 de julho de 2014

*** Olhares ***


Entre olhares discretos mas atrevidos dialogamos
Os teus olhos navegam pelas curvas do meu corpo
Inspirando a minha sensualidade
Despertando o meu lado mais selvagem
Aguças a minha vontade, o coração dispara
A mente divaga perdida nas nuances do teu olhar
Transponho a parca distância que nos separa
Envolvo-me no teu abraço, perco-me nos teus lábios, colo o teu corpo ao meu
Satisfaço este desejo ansioso
Este impulso incontrolável que sinto em mim
E (re)vejo refletido na intensidade do teu olhar

domingo, 13 de julho de 2014

*** A falta de carácter tira-me do sério e existem por ai umas certas criaturas que exageram. ***
Hoje resolvi tirar um tempinho para ver o mail e não é que me deparei com uma destas criaturas numa tentativa incessante de “engate virtual” mas o problema não o engate (com isso posso eu bem e até lhe gabo o bom gosto) mas sim a forma como o faz, não é que a criatura envia textos, poemas, etc…, diga-se de passagem que muito bem escritos mas o problema reside num pequeno GRANDE pormenor não foram escritos pela criatura (apesar da mesma afirmar que são da sua autoria), foram simplesmente desviados, usurpados, plagiados de bloguesblogues que sigo, que visito, leio (até posso não os comentar mas ando por lá).
Sinceramente, este tipo de situações revoltam-me, se querem engatar ou menos sejam criativos e não usem o trabalho dos outros para esse fim … tenham dó … e não insultem a minha inteligência … bastou-me uma pequena pesquisa para descobrir onde é que já tinha lido aquelas palavras.
E este caso remete-me para duas questões:
1ª. O facto de se apoderarem do trabalho de outros
2ª. O usarem as “nossas” palavras para o engate
Não sei qual das questões possa ser a pior, o facto de usarem o trabalho intelectual de outro é crime e deve ser denunciado, mas quando usam esse mesmo trabalho com a finalidade de levar alguém para a cama é simplesmente detestável …

E por hoje é tudo …

(desculpem lá o desabafo)

sábado, 12 de julho de 2014

Sabes(?)


Gosto do (meu) silêncio, aquele silêncio que desperta os sentidos, aquece a alma, embriaga o corpo, eleva os pensamentos … adoro ficar assim no (meu) silêncio … silêncio que não partilho, silêncio que não renuncio … e o único que exijo é que respeitem este (meu) silêncio … 

terça-feira, 8 de julho de 2014

Pensamentos Nocturnos #7

Previa uma noite sem sobressaltos...
Deitei-me lentamente, saboreei o macio e a leveza do tecido que me envolvia o corpo a descoberto gentilmente coberto por um ligeiro aroma de mel e amêndoas que emergia nos meus sentidos, deixando-me ligeiramente embriagada naquele perfume que denunciava um banho acabado de tomar.                     

Aconcheguei-me e dei por mim, nos instantes seguintes, a pensar em ti, fechando os olhos e recordando o teu cheiro, o teu gosto, o teu toque, os teu olhar intenso de paixão, de entrega... nos momentos seguintes, enquanto te " via " acariciei os meus seios, lentamente, procurando saborear cada  toque  como se do teu se tratasse, tentando adivinhar  a doce firmeza que não tardaria a evidenciar-se... percorri todo o meu corpo com os meus dedos passando pelo meu peito, coxas, nádegas   repetindo estes movimentos delicados várias vezes, provocando intensos arrepios que me faziam estremecer continuando a imaginar-te ali bem perto. As carícias ficaram cada vez mais ritmadas à medida que te refugiaste no meu mais escondido recanto, fazendo-me estremecer de prazer, de intenção de me possuíres a qualquer momento. Os movimentos tornaram-se regulares e a evolução rápida e arrebatadora, receando chegar aquele instante que faria denunciar todo o meu prazer.


quarta-feira, 2 de julho de 2014

Apetece-me #35


Apetece-me
A luxuria do teu desejo focado em MIM 
... do prazer que me queres proporcionar ...
Apetece-me 
A luxuria do prazer que sentes 
... quando retiras de MIM a ultima gosta de tesão ...
Apetece-me 
A luxuria dos corpos encaixados 
... num só ...
Apetece-me 
A luxuria dos sons partilhados
... dos gemidos que se transformam em gritos ...
Apetece-me 
Apetece-te??

terça-feira, 1 de julho de 2014