quarta-feira, 26 de julho de 2017

Fantasia #4

Os braços atados à cabeceira da cama, a mordaça na boca, o corpo esguio posicionado de quatro, a respiração profunda, aquele olhar que almejava as nádegas balançando no ar. Nádegas lisas, macias como veludo vermelho. Um chicote na mão, ainda com a temeridade de usá-lo. Livrando-se do temor, rapidamente, com intrepidez usou-o desferindo a peça de couro no glúteo direito, marcando com uma vermelhidão luxuriosa a carne municiada de concupiscência e lascívia.



A temperança flamejava no olhar, a língua passava sobre a vermelhidão tentando suavizar o estremecimento do corpo. Repentinamente, duas mãos seguravam vorazmente a nádega apertando-a com força para demarcar o local onde proferiria as mordidas. Uma mordida, outra e mais outra mordida. O gemido misturava-se ao grito de dor.

Deslizando a mão esquerda, semelhante à correnteza de rio, pelas costas, desembocando os dedos na nuca, entrelaçou os dedos nos fios do cabelo que eram puxados com força, forçando o arquear do corpo, permitindo a entrada feroz do sexo que desbarbava a intimidade exposta fazendo o corpo estremecer a cada entrada violenta que pareciam produzir descargas eléctricas, o seu corpo contorcia-se e soltava gemidos seguidos por espasmos. Sua vagina, molhada, contraia e relaxava. O ritmo aumentava e os seus gemidos transformaram-se em gritos num misto de dor e prazer, sentindo toda aquela descarga animal que percorria o seu corpo, sentindo-se completamente indefesa à mercê daquele homem.


Ele sentindo-se satisfeito, desatou a sua vítima, levando-a até o centro daquele quarto, pegou numa coleira e assim a fez sua.


4 comentários:

  1. até ao final do ano, o 'Blog Simples Atracção' vai lançar 1 nova historia por mês... "https://simplesatraccao.blogspot.pt/"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Finalmente
      Já tenho saudades das tuas histórias
      Bacio
      Peccato

      Eliminar